Um problema grande que aflige as pessoas ou a mim, é que as coisas que eu costumo fazer para mim mesmo eu nunca consigo terminar. Por que eu faço isso?

A vida tem um prazo, pode ser daqui 50 anos ou daqui a 50 minutos, quem é que sabe? Você está satisfeito consigo mesmo? Eu NÃO!

Nos últimos dias tenho tido muitas ideias, porém a vida está corrida, como nunca antes foi. E tenho deixado as coisas acontecerem? Não. Por incrível que pareça estou fazendo as coisas acontecerem.

Aos poucos tenho retomado as rédeas da minha vida, estou saindo da fase mais sombria que vivi, estou emergindo e tomando o protagonismo da minha vida de novo.

Incrível, como num momento tão ruim para o mundo, a minha vida está melhorando consideravelmente. Mas sem a minha mudança de postura perante ao mundo isso não seria possível.

Por incrível que pareça, eu sempre lidei melhor com prazos do que sem prazos. E, ao ver que o meu prazo possa ser curto, quero fazer o máximo de coisas que eu conseguir.

Cada dia que passa eu tenho feito mais e mais coisas, estou muito cansado, vou dormir exausto todos os dias. Mas ainda vejo que tem espaço para mais. E quanto mais eu faço, mais feliz eu fico.

E tudo tem saído perfeito? Óbvio que não, aceitei que não sou perfeito e que isso tem me ajudado horrores, simplesmente eu faço e deixo rolar, as coisas estão parecendo um ioiô. Vai e volta, meus movimentos que estão ditando como as coisas devem acontecer. Às vezes mais rápido ou mais lento, mas acontecem.

Bem, porque de tudo isso agora? Eu não sei. Simplesmente deu vontade de fazer? Não, simplesmente estou fazendo! E feito é melhor que perfeito, pois a ideia perfeita não existirá! Estou saindo do papel e indo para o mundo das realizações.

Nos próximos dias vou levar meu tempo mais a sério, vou escrever mais ao público que para mim mesmo. Vou começar a fazer um projeto para aprender uma nova tecnologia. Não quero mais ver as pessoas jogando video game (eu não faço isso – é uma metáfora), quero eu jogar. Quero entrar em campo.

Vou voltar meu velho modo de guerra, fazer e mostrar. Fico feliz de ter simplesmente feito. Vou ficar cansado? Possivelmente, mas é preciso fazer isso.

Foto por Jonathan Borba em Unsplash