Desde 2010 eu vinha ensaiando sair do Windows, não pela sua qualidade, mas principalmente por questões que estavam me incomodando bastante. A principal de todas era que a maioria dos aplicativos que eu utilizava já eram gratuitos, mas sempre tinham aqueles que não eram gratuitos.
Desde o momento que apareceu a famosa estrela do Windows ao lado do relógio fiquei muito incomodado, meus pais, e principalmente a minha mãe, me cobraram uma conduta que eu percebi naquele momento que eu não estava tendo.
Então comecei a namorar com mais frequencia o famoso Linux, já tinha tido acesso em outros momentos da minha vida por questões da faculdade e curiosidade mesmo. Lembro-me que tinha testado várias distros (kurumin, fedora, opensuse e etc), a que eu tinha mais me adequado era o fedora mas por não ter conhecimento suficiente acabei voltando para o Windows.
Em 2010 tive algumas aulas de Linux num cursinho para concursos, coisas que aprendi para responder as perguntas daquele edital, foram apenas 4 aulas, porém aquilo me cativou a voltar a instalar o Linux novamente, o professor sugeriu o Ubuntu, sendo honesto nunca tinha ouvido falar.
Então peguei minha máquina e fiz um dual boot incentivado por um colega de classe que havia feito no MacBook dele (achei uma heresia naquele momento), instalei o tal do Ubuntu. Tanto esse colega quanto o professor ensinaram comandos e me ajudaram a instalar alguns programas.
Com o passar do tempo fui percebendo que utilizava mais o Windows para fazer coisas para os outros, até programando estava fazendo no próprio Linux, mesmo com os trancos e barrancos.
Em 2014 já estava usando quase diariamente o Ubuntu Linux em casa, mesmo com vários perrengues que me deixavam muito chateado, porque meu conhecimento é raso ainda sobre a plataforma, mas o fato das distros serem bem completas e, saindo do zero e gastar menos de duas horas para começar a trabalhar, isso me deixa bastante contente.
Então desde 2014 tenho utilizado somente Linux para o que quer que eu faça em casa, desde edição de imagens a codificação, não vou falar que é fácil, nunca parei para estudar o Linux de um jeito mais profissional, mas as mesmas dificuldades que tenho Windows tenho no Linux.
Muita gente reclama do uso intensivo das linhas de comandos no console do Linux, eu acho coisa linda de Deus, pode parecer coisa de maluco, talvez seja mesmo, mas saber o que você está fazendo me traz um sono muito melhor, porque odiava quando instalava um free software no Windows e eles vinha com um monte de aplicativos que eu não queria.
Vamos falar um pouco sobre a mudança para utilização do Korora, há alguns dias atras um amigo questionou num grupo de estudos que participamos qual era a distro que a galera usava, falei que utilizava Ubuntu Gnome há muito tempo e estava feliz, aí ele disse que o Notebook de trabalho dele era mais modesto que o meu e preferia XFCE (já tinha ouvido falar mas nunca usado) e fiquei com a pulga atrás da orelha, semana passada ouvindo o podcast Castlário (excelente), com o Elyézer e o Bruno, ouvi o Bruno dizer que usava essa distribuição Korora.
Então entrei no youtube e procurei o vídeo e vi aquele desktop bonitão, ícones bem contemporâneos, sou um cara que é bastante visual e o pior às vezes gosto de mudar =). Meu amigo River havia dito que estava usando o Fedora e XFCE, o Bruno usava esse Korora, aquilo ficou martelando na minha cabeça. Na quarta baixei o iso e instalei numa VM, gostei, fiz um multi boot, já estava com 4 SOs (2 Ubuntu e 2 Fedora), 1 Gnome, 1 KDE e 2 XFCE (ambos fedora).
Os dois XFCE eram fedora (oficial e o Korora), mas após instalar o Korora e fazer a configuração básica para trabalhar, havia gostado muito e resolvi deixar um dual boot, meu antigo Ubuntu Gnome e o Korora.
O Korora é um ambiente muito legal, vem muito completo, mas você tem que dar o seu toque especial e instalar as ferramentas que você precisa, caso não tenha junto a distribuição. No geral vem completo para aqueles que não são desenvolvedores, usuários domésticos não devem precisar de instalar nada, pois vem com visualizador de imagens, reprodutores de vídeos e sons, browser, pacote libre office, editor de imagens e de vetores. Tudo que um usuário precisa.
Depois faço outro post falando dos problemas que encontrei e como solucioná-los.

Abraços!